TSE nega registro de candidatura de Neri, que diz que vai recorrer

TSE nega registro de candidatura de Neri, que diz que vai recorrer

Em votação unânime, o Tribunal Superior Eleitoral negou o registro de candidatura do deputado federal Neri Geller (PP), que disputa uma cadeira no Senado.

O indeferimento do registro é consequência de uma decisão do próprio TSE, havia cassado seu mandato por abuso de poder econômico em 2018, em julgamento realizado em agosto deste ano.

Em nota, Neri afirmou que tem sido alvo de "forças ocultas" e que vai recorrer.

Com a decisão, todos os votos no candidato nas eleições de domingo (02) deverão ser considerados nulos. O julgamento ocorreu na manhã desta quita-feira (29).

O relator do caso, ministro Raul Araújo, votou por reformar o acórdão do Tribunal Regional Eleitoral (TRE), que havia deferido o registro de candidatura a Neri Geller.

 

Portanto, ele vai concorrer no domingo com o registro de candidatura cassada. Os demais ministros concordaram com os argumentos do relator. 

 

O recurso contrário ao acórdão do TRE/MT foi proposto pela Procuradoria Eleitoral de Mato Grosso sob o argumento que no dia 23 de agosto, Neri foi cassado por unanimidade pelo pleno do TSE pelos crimes de por abuso de poder enconomico e gastos ilícitos de recursos na campanha de 2018 e o tornou inelegível pelos próximos 8 anos, a partir daquele ano. Além disso, houve a determinação de cumprimento imediato da decisão. 

 

A defesa de Neri Geller tentou sustentar que o Ministério Público apresentou noticia para inderir o pedido de registro de candidatura fora do prazo, que foi dia 15 de agosto. O julgamento do TSE ocorreu no dia 23 de agosto e a notícia foi apresentada no dia 24, que teria sido fora do prazo. 

Além disso, argumentaram que ingressaram com embargos ao julgamento do TSE que cassou Neri e queriam que a Corte aguardasse esse resultado do recurso. O ministro Raul afastou ambas as possibilidades.

Neri Geller divulgou nota dizendo que vai recorrer da decisão. Leia abaixo:

 "O candidato ao Senado Neri Geller informa que diante da decisão proferida pelo TSE irá recorrer ao Supremo Tribunal Federal.

 

"Forças ocultas, as forças do atraso, mais uma vez tentam me tirar do jogo. Atingem a honra de um homem inocente e tentam atingir o presidente Lula. Neste domingo você que não compactua com isso, você que não aceita que pessoas vivam da política,  pode votar sem medo. Vote 111 para o Senado, vote 13 no presidente Lula, porque esse voto vai valer".

Neri destaca que a decisão judicial não retira seu nome das urnas e conclama sua militância a se manter aguerrida até a votação."

Fonte: MídiaNews.