Ministério da Justiça prorroga apoio da Força Nacional em terra indígena invadida por garimpeiros em MT

Ministério da Justiça prorroga apoio da Força Nacional em terra indígena invadida por garimpeiros em MT

O Ministério da Justiça e Segurança Pública prorrogou até 21 de janeiro de 2023 o apoio da Força Nacional de Segurança Pública para ajudar a Fundação Nacional do Índio (Funai), na Terra Indígena Sararé, em Pontes e Lacerda, a 483 km de Cuiabá. O local é alvo de várias operações da Polícia Federal contra garimpo ilegal de ouro.

A portaria foi publicada no Diário Oficial da União nesta segunda-feira (24) e ampliou o prazo em 90 dias. Neste período, as equipes desempenharão atividades e serviços voltados à preservação da ordem pública e integridade de pessoas e patrimônios, além de prestar apoio em operações.

De acordo com o Sistema Indigenista de Informação (SII), da Fundação Nacional do Índio (Funai), TI Sararé tem mais de 67 mil hectares e mais de 131 mil km de períometro. É ocupada pela etinia Nambikwára e fica nos municípios de Vila Bela da Santíssima TrindadeNova Lacerda, Pontes e Lacerda e Conquista D’Oeste.

Na região da Terra Indígena, a Polícia Federal realiza a Operação Alfeu, que já teve três fases.

A primeira foi em maio de 2020, quando policiais desocuparam um garimpo ilegal de ouro na região. Porém, após a saída das equipes, os garimpeiros invadiram o local novamente.

A segunda etapa foi deflagrada em março de 2021 e apreendeu instrumentos usados na exploração clandestina. A desocupação foi determinada pela Justiça de Cáceres, e foi realizada por 50 policiais federais e mais de 100 militares do Exército Brasileiro.

Por imagens de satélite, a Polícia Federal constatou que a região continuava sendo degradada e foi realizada, então, a terceira fase da operação em setembro. A ação contou com apoio do Ibama, da Força Nacional, do Exército Brasileiro, da Polícia Rodoviária Federal e da Funai, envolvendo aproximadamente 100 servidores. Drones também foram utilizados.

Fonte; G1-MT.